Dia do Orgasmo: o que o orgasmo tem a ver com a sua vida profissional e criativa



Nesse Dia do Orgasmo, precisamos lembrar que o sexo é uma das partes mais importantes de nossa vida: gozar é uma forma importante de saciar nossos desejos e de obter prazer com o nosso corpo. E o orgasmo pode ajudar a sua vida profissional. É isso mesmo: gozar pode te dar mais criatividade e produtividade



De fato, não gozamos o suficiente. Nos EUA, a média do número de transas caiu 15% entre 1990 e 2010. No Brasil, mulheres tem uma dificuldade enorme de gozar (e isso não é de hoje): somente 36% tem orgasmos durantes suas relações sexuais e um quarto delas não se masturba.

O orgasmo e a consequente liberação de oxitocina são responsáveis por transformar a nossa relação com trabalho e com a criatividade

Por isso, precisamos retirar os tabus sobre o sexo e procurar buscar prazer. Seja através do orgasmo solitário e pela masturbação, seja com as pessoas que gostamos e amamos. O gozo é, certamente, um caminho para o bem-estar e uma boa relação com seu prazer pode se expandir para uma boa relação com seu trabalho e com as pessoas ao seu redor.

O teórico social e filósofo alemão Byung Chul-Han iria odiar esse texto: ele, inclusive, conecta em seus livros 'Sociedade do Cansaço' e 'A Agonia do Eros', que a busca pela produtividade no âmbito profissional é um dos problemas do nosso sistema social que, por consequência, faz com que transemos menos. Só citamos ele para, caso isso te interesse, você dê uma lida. Mas agora vamos falar sobre como o orgasmo pode ajudar a sua vida profissional.

Orgasmo e vida profissional
Quem não fica mais feliz depois de ter um orgasmo? O sexo alivia as tensões e libera uma série de hormônios que causam bem-estar. No trabalho, bem-estar e felicidade na vida pessoal são importantíssimas para um bom desempenho profissional, com foco e dedicação. E estudos já mostram a relação entre o orgasmo e a produtividade.

Uma pesquisa da empresa Lelo, no Reino Unido, mostrou que mais de 78% dos britânicos ficam mais felizes quando gozam – seja na masturbação ou com o companheiro. 66% – ou um terço – afirmou que eles ficam mais produtivos depois de um orgasmo e 40% dizem que os efeitos benéficos do orgasmo duram até cinco dias em seu corpo. Mas o estudo ainda propõe uma economia com mais sexo: se os bretões transassem mais, o PIB do Reino Unido cresceria 645 bilhões de reais.

"Quando percebemos a ligação clara entre produtividade e felicidade e, posteriormente, ligamos essa felicidade ao orgasmo e seus efeitos no corpo e no cérebro, ficamos fascinados. Ao tornar clara essa realidade, as empresas e o governo poderiam se utilizar dessa informações: temos certeza que o PIB do Reino Unido cresceria pelo menos 90 bilhões de libras esterlinas com funcionários que gozam. É algo simples, mas que pode funcionar", afirma Rosanna Spero, a escritora responsável por 'A Economia dos Orgasmos'.

Pesquisas na Universidade de Oregon também mostraram que as pessoas que transam possuem mais facilidade de subir de cargo nas suas empresas, além de trabalhar melhor. Ao analisar a vida sexual de 159 casais e sua vida no trabalho, o estudo demonstrou que casais que faziam sexo com mais frequência tinham um desempenho melhor no trabalho.

"Fazemos piadas sobre a pessoa 'ganhar um novo brilho', mas a realidade é que isso realmente ocorre. Deveríamos prestar mais atenção nisso. Manter uma relação saudável que inclui uma vida sexual saudável ajuda qualquer um a ficar mais feliz e mais engajado com seu trabalho. Isso beneficia a empresa e, principalmente, os funcionários", explica Keith Leavitt, um professor da Universidade do Oregon, que comandou o estudo.

Mais orgasmos poderiam ajudar a economia a crescer e tornaria massa de trabalhadores mais feliz; estudos apontam que mais orgasmos poderiam valer bilhões

O professor ressalta a importância da vida sexual na felicidade: "Isso é só um lembrete de que o sexo possui benefícios emocionais, sociais e fisiológicos. É importante fazer dele uma prioridade. E é sempre importante arranjar um tempinho para ele", diz Leavitt.

Orgasmo e criatividade
Além de aumentar a disposição e a concentração no trabalho, o orgasmo pode ser uma das principais formas de abertura da criatividade que a natureza nos deu. A bomba de hormônios causada pela libido pode ser uma força motriz de criatividade e de boas ideias.

Não são raros os relatos na história de artistas que utilizaram o orgasmo como força para trabalhar. Honoré de Balzac, por exemplo, se masturbava enquanto escrevia, assim como Gustave Flaubert, Allen Ginsberg, e outros vários escritores e escritoras. A técnica se tornou famosa – isso porque a agitação sexual causa uma espécie de embriaguez – para expandir a criatividade.

O sexo é força motriz para a criatividade e o orgasmo pode ser um bom empurrãozinho
O orgasmo em si, entretanto, pode ser uma forma muito interessante de liberar dopamina, o hormônio da criatividade e do foco. Esse hormônio – junto da oxitocina, outra substância liberada durante o gozar – é importantíssimo para expandir a nossa capacidade de criar novos projetos e ideias.

"A oxitocina é um neuropeptídeo do hipotálamo bastante conhecido por seu papel na reprodução, nas relações sociais e no comportamento de grupo dos seres humanos e outros animais. Trabalhos recentes sobre o hormônio revelam que a oxitocina tem papel crucial na criatividade e na cognição em seres humanos, melhorando sua capacidade de produzir insights, ideias e solucionar problemas", explica Nathalie C. Boot, que conduziu uma importante pesquisa mostrando que a capacidade de criatividade e solução de problemas aumentava com doses maiores de oxitocina na corrente sanguínea.

Com os hormônios certos – que causam prazer, paixão, criatividade e foco -, o orgasmo pode ser um bom caminho para o bem-estar e para a felicidade. Goze você também!